Cyberbullying

O que é?

CyberbullyingEste problema associa-se muitas vezes a jovens e adolescentes, uma vez que estes elementos são, de uma forma natural, mais susceptíveis a possíveis interacções com outros pares. No entanto, este fenómeno é extensível a qualquer utilizador, independentemente da sua idade ou género.

Embora um caso de cyberbullying possa ser ultrapassável, alguns casos podem ganhar tais dimensões, que deixam a vítima em estado de desespero. Nestas circunstâncias e, dependendo da sua inteligência emocional, uma vítima pode adoptar comportamentos de risco, encarando o suicídio, como uma opção de fuga. Por esta razão, nunca devemos encarar este problema de ânimo leve.

 

O que pode correr mal?

Este fenómeno tem-se tornado cada vez mais comum, assumindo proporções variadas. O que geralmente ocorre é um utilizador anónimo (recorrendo a perfis falsos, contas sem informação ou até roubo da identidade de outros utilizadores), através das redes sociais, e-mails, SMS, serviços de IM, fóruns ou quaisquer outros mecanismos de comunicação, transtornar outro utilizador.

O agressor pode fazê-lo de diferentes formas – através de ameaças, – denegrir a sua imagem, causando sempre períodos de sofrimento e/ou stress. E enquanto que no bullying “tradicional” o bully é geralmente o elemento com maior poder (tamanho, idade, força) dentro de um grupo local, na Internet, o agressor pode ter os mais variados perfis.

Existem algumas redes sociais/aplicações que foram sinalizadas como propícias ao Cyberbullying nomeadamente aplicações que permitem o anonimato como é o caso do Ask.FM e Snapchat.

Seguem-se alguns exemplos de cyberbullying:

Ameaça e Perseguição

Através do computador e smartphones, os agressores enviam sistematicamente mensagens ameaçadoras ou de ódio aos seus alvos. Os bullies podem inclusivamente adotar nomes ou nicks de outros utilizadores, para envolver outras vítimas no processo.

Roubo de identidade

Ao obter acesso às palavras-passe da vítima, o agressor entra nas várias contas da vítima, acedendo ilicitamente a várias informações sobre a vítima em questão e causando vários problemas, como o envio de mensagens de conteúdo inapropriado para os contactos da vítima. Através do acesso a estas informações é possível ao agressor criar perfis em vários websites, muitas vezes com o objetivo de manchar a reputação online da vítima.

Humilhação pública

Grande parte das vezes, este fenómeno baseia-se na humilhação pública, recorrendo às redes sociais ou ao envio de mensagens de correio eletrónico em massa para outros utilizadores, contendo imagens ou outros conteúdos que coloquem em causa a reputação da vítima.

Envio de malware

Caso o agressor possua conhecimentos suficientes, poderá efetuar o envio de vírus e malware como forma de prejudicar a vítima. Note-se que estes vírus poderão ser veículos para alcançar outros objetivos como o roubo de informações pessoais.

 

O que fazer para estar mais seguro?

 

Não existe uma solução para erradicar este fenómeno, visto que é fruto do resultado de uma interação entre pares e do impacto das tecnologias na nossa vida social. No entanto, existem alguns cuidados que podem ser considerados de forma a reduzir os perigos associados ao cyberbullying:Cyberbullying - Rapariga chora em frente ao monitor

  • Não disponibilize informação privada inadvertidamente;
  • Não partilhe informação pessoal ou íntima, em especial através dos canais TIC;
  • Não forneça a sua palavra-passe a ninguém;
  • Guarde registos de todas as mensagens que recebe;
  • Altere a(s) sua(s) conta(s) de correio eletrónico caso uma situação persista;
  • Não aceite pedidos de amizade de um perfil com conteúdos inapropriados e/ou que o deixe desconfortável. Aceite apenas pedidos de utilizadores que conhece pessoalmente;
  • Modifique o estado dos seus perfis para privados;
  • Não publique informações relacionadas com outros utilizadores;
  • Dirija-se aos seus contactos sempre de forma respeitosa, tal como faria num contacto direto;
  • Não responda a nenhuma ameaça ou incitação ao ódio.

 

Mais informação

Discurso do Ódio

As possibilidades de interação humana sofreram um boom com a chegada da Internet, uma vez que as mesmas possibilitaram a comunicação entre qualquer utilizador do mundo. O espaço online convida à participação de diversas comunidades podendo, no entanto, ser palco para o discurso do ódio.

O discurso do ódio é um fenómeno social que tem acompanhado os primórdios da humanidade, sempre que duas ou mais culturas chocam entre si. Este fenómeno ganhou uma maior proporção e visibilidade através da Internet e assume características muito semelhantes às do cyberbullying.

Em Portugal, esta questão é abordada em profundidade pelo Movimento contra o Discurso de Ódio (http://www.odionao.com.pt/).

Receba todas as notícias e eventos no seu email