SMS, MMS e IM
 

O que são?

A seguir às chamadas, o envio de mensagens é das funções mais caraterísticas dos telemóveis.

O SMS (Short Message Service – Serviço de Mensagens Curtas) foi o primeiro serviço que permitiu esta função. Algumas comunidades da Língua Portuguesa referem-se também a este serviço como torpedo.

Este serviço já existe há mais de 20 anos, tendo sido utilizado pela primeira vez em 1992. Atualmente este serviço é muito utilizado para uma troca de mensagens com pouco texto. Um SMS pode conter até 140 carateres (no entanto, carateres especiais, como símbolos e palavras com acentos e cedilhas, podem consumir mais que 1 carater). Hoje em dia todos os telemóveis permitem enviar mensagens que excedam este número de caracteres (o que acontece na realidade é que eles enviam a mensagem dividida em várias partes).

Este serviço era muito utilizado pelo público jovem na década anterior e deu origem à criação de várias abreviaturas em várias línguas. Hoje em dia é comum o uso do SMS para solicitar serviços, horários e adquirir informações (que podem dar origem à taxação de custos superiores ao de uma SMS normal).

Com a evolução tecnológica, o SMS deu origem ao MMS (Multimedia Message System – Sistema de Mensagens Multimédia), um serviço que permite a integração de imagens, vídeo e áudio às mensagens de texto. Este serviço ganhou popularidade no momento em que os telemóveis ganharam câmaras fotográficas, uma vez que permite a partilha de fotografias entre contactos. Para além disso, uma MMS permite um envio de uma mensagem de texto até 30 mil caracteres e com suporte a caracteres especiais.

O serviço de MMS pode variar de aparelho para aparelho e conforme as configurações da operadora. Assim, a capacidade de envio e/ou recepção de MMS com imagem, texto, som e/ou vídeo pode ser diferente de utilizador para utilizador.

O IM (Instant Messaging – Mensagens Instantâneas) popularizou-se nas últimas décadas e representa a evolução das salas de conversação (chat). Este serviço junta funcionalidades do chat e permite a troca de mensagens imediata, funcionando como um serviço de chat individual entre dois ou mais utilizadores.

Muito embora este serviço esteja atualmente presente nos computadores, a evolução tecnológica dos telemóveis e o surgimento das aplicações móveis deu origem a que estes serviços se tornassem multi-plataforma.

Alguns dos serviços mais populares de IMs são o Google Talk, o Yahoo! Messenger e o serviço MSN Messenger, “extinto” a 8 de Abril de 2013 e migrado para o Skype, o atual serviço de mensagens instantâneas e videoconferências da Microsoft. A verdade é que todos estes serviços estão também disponíveis em versão móvel e que estas aplicações têm conquistado terreno. Na realidade existem ainda aplicações como o Whatsapp, Viber, iMessage, Kik Messenger, entre outros, que só existem para telemóvel e que conquistaram muitos novos utilizadores e antigos utilizadores dos serviços de SMS e MMS. Uma das principais razões para a grande adesão a estes serviços é o facto de estes permitirem comunicações entre utilizadores de operadoras de comunicações diferentes, sem custos acrescentados.

 

O que pode correr mal?

Mensagem Multimedia

O sistema de mensagens instantâneas junta funcionalidade de chat, telefones e e-mail, permitindo a troca de informação e dados com todos os utilizadores na lista de contactos do serviço. Basta escrever a mensagem e clicar em enviar, para a mensagem, de forma quase instantânea, ser recebida pelo destinatário, através de um computador ou smartphone, onde quer que esteja.

Estes serviços permitem a comunicação entre vários utilizadores, através de mensagens de texto, voz e/ou áudio. Dessa forma existem uma série de riscos que podem estar relacionados com estas comunicações, nomeadamente:

  • Um utilizador pode ser vítima de SPAM, recebendo mensagens de texto e/ou imagem com conteúdos de publicidade não solicitada, algo que se pode tornar extremamente incomodativo;
  • Um utilizador pode ainda ser vítima de phishing, ou fraudes (SCAM), recebendo mensagens que lhe pedem informações pessoais, fazendo-se passar por entidades credíveis;
  • Um utilizador pode, sem saber, aderir a um serviço de mensagens pagas, onde recebe conteúdos de uma determinada entidade, sendo-lhe imputado um custo diário, semanal ou mensal, para além do valor da referida mensagem;
  • A troca de textos, voz, vídeos e imagens de caráter erótico e/ou sexual, pode ocorrer e não representa nenhum ato ilegal, salvo se praticado com um menor de idade. No entanto, é importante recordar que a partilha destes conteúdos implica a perda de controlo sobre os mesmos e poderá ser partilhado e/ou distribuído por outros utilizadores. Saiba mais sobre sexting, consultando o tema na nossa área riscos e prevenção;
  • Outro fenómeno, presente em algumas destas comunicações, que devemos ter em atenção, é o cyberbullying, que consiste em ameaçar, denegrir ou insultar uma pessoa através do uso destas ferramentas e serviços. 

 

Serviços de Mensagens Instantâneas

Existem algumas sugestões que podem ajudar a prevenir e/ou solucionar os problemas apresentados anteriormente, nomeadamente:

  • Evite dar o seu contacto telefónico a desconhecidos. Afinal de contas, este representa uma forma de contacto direto consigo, pelo que deve tratar esta informação com o mesmo cuidado com que trataria a sua morada ou outros dados pessoais;
  • Não responda a mensagens cujo remetente é desconhecido. Se não sabe de quem vem a mensagem e/ou se o seu conteúdo é desconfortável, não responda. Caso esta mensagem seja ameaçadora, denuncie-a à polícia, anotando o remetente, a data e hora de envio e o seu conteúdo integral;
  •  Desconfie da aquisição de serviços e/ou produtos por SMS. De uma forma geral este tipo de ofertas são serviços de valor acrescentado que obrigam o utilizador a efetuar pagamentos únicos ou periódicos através do débito de saldo no telemóvel. Caso verifique que o seu saldo está a desaparecer sem explicação aparente, contacte a sua operadora de serviço móvel, pois poderá ter sido inscrito num serviço de valor acrescentado;
  •  Sempre que receber uma mensagem que solicita o envio de dados pessoais e/ou de conta, ou que o reencaminha para um website para o mesmo efeito, verifique o remetente e endereço url da página (se corresponde ao remetente/endereço a que está habituado), verifique se a ligação para a página é segura (https) e lembre-se que uma entidade nunca lhe vai pedir o seu código e/ou password;
  • Cuidado com os temas explorados durante uma conversação. Os assuntos abordados através destes canais podem revelar demasiado sobre os utilizadores em questão. Caso não se sinta confortável com os temas abordados ou com o utilizador com quem está a interagir, bloqueie o utilizador. Nunca divulgue informação privada a desconhecidos;
  • Não aceite encontrar-se com utilizadores que acabou de conhecer através destes canais. A utilização destes serviços permite com alguma facilidade permanecer anónimo. Neste aspecto, qualquer utilizador pode utilizar um perfil falso, pelo que não poderá ter certezas de quem está a falar consigo. Nesse sentido, não aceite encontrar-se com utilizadores que acabou de conhecer através deste sistema;
  • Não abra ficheiros, nem aceda a paginas de Internet enviadas por desconhecidos. Se alguém lhe enviar um ficheiro ou um link que considera suspeito, questione o utilizador sobre o ficheiro e veja se a resposta faz sentido. Não se esqueça a possibilidade de o utilizador estar contaminado com malware;
  • Registe as sessões de conversação. A maior parte das aplicações de IM permitem ao utilizador gravar as conversas com vários participantes. Opte por ativar esta funcionalidade, pois caso surja algum problema (como bullying, tentativa de fraude ou phishing), este registo poderá ser útil.
Receba todas as notícias e eventos no seu email