Notícias

MIL – Literacia dos media e informação (Media and Information Literacy)
imagem do logo do evento MIL - Global Media and Information Literacy
15/10/2019

As sociedades contemporâneas requerem cidadãos literados ao nível dos media e da informação. Ou seja, atualmente para fazer face à sociedade do conhecimento os cidadãos necessitam adquirir um conjunto de competências que lhes permita compreender e utilizar de forma critica os media e a informação, seja ela uma literacia para os media e informação, uma literacia critica para os media, uma literacia digital, uma literacia para utilizar os PC e a Internet, uma literacia para os filmes e jogos, televisão e notícias…

 

Sabes o que é a literacia dos media? O artigo 59 da Diretiva «Serviços de Comunicação Social Audiovisual» define literacia para os media como as “competências, conhecimento e compreensão que permite aos cidadãos usar os media de forma eficaz e segura. Tem como objetivo “capacitar os cidadãos a aceder à informação e a utilizá-la, a aceder de forma crítica e a criar conteúdos media seguros e responsáveis” (…) “A literacia para os media não deve limitar-se às ferramentas e às tecnologias, mas deve também equipar os cidadãos, com capacidades para pensar de forma crítica, para exercer julgamentos, analisar realidades complexas e reconhecer as diferenças entre opiniões e factos.”

Em 2007, a UNESCO recomendou a utilização da expressão literacia dos media e da informação, abrangendo as alterações na cultura dos media, como resultado da digitalização e da expansão do trabalho da UNESCO na área das sociedades do conhecimento e da liberdade de expressão.  O constructo deste conceito mais abrangente agrega os conceitos tradicionais de literacia dos media e das competências digitais debaixo do mesmo chapéu.

Porque razão é que a literacia dos media e da informação é importante para os cidadãos?

Numa sociedade em que os media e a informação são transversais ao modo como vivemos e como nos relacionamos é importante garantir que os cidadãos possuem competências elevadas de literacia para os media, para que possam fazer o melhor uso possível das suas potencialidades, de forma segura e responsável. Neste contexto desempenham um papel importante, as pessoas, o sistema de ensino e os seus agentes mais diretos (professores e os educadores) bem como os stakeholders responsáveis pela produção de conteúdos e pela gestão de plataformas.

O Centro Internet Segura considera que esta é uma temática fundamental no contexto da sociedade atual e por essa razão associou-se à Global Media and Information Literacy Week 20019 , uma iniciativa mundial anual sobre os media globais, informação e literacia, promovida pela UNESCO, que decorre entre 24 e 31 de outubro. Em setembro, de 24 a 26, a UNESCO organizou a conferência principal, este ano sobre o tema MIL Citizens, Informed, Engaged. Conforme Alton Grizzle (1) referiu “quando os cidadãos estão conscientes sobre os tipos de informação que recebem e partilham - estão informados - refletem criticamente sobre a autenticidade, a fonte e a possível intenção da informação – estão envolvidos - e tomam decisões intencionais e informadas – estão capacitados – estando, assim, aberto o caminho para desenvolverem as suas competências para uma literacia dos media e informação.”

Na perspetiva da UNESCO a literacia dos media e informação, possibilita aos cidadãos e às comunidades alicerçarem ações que contribuem para a mudança. Indivíduos e grupos empenhados tornam-se responsáveis uns pelos outros e agem com maior respeito pelos direitos e liberdades com maior solidariedade, num diálogo intercultural. Cidadãos capacitados são a base de uma sociedade saudável e sustentável, onde as decisões são tomadas tendo consciência e conhecimento dos seus direitos e da relação e conectividade com o mundo.

A conferência promoveu a participação de diferentes stakeholders e os jovens tiveram um dia especial nas comemorações globais da semana MIL. Os jovens não são apenas um grupo-alvo das iniciativas MIL são também atores e parte da solução. A Youth Agenda Forum é exemplo disso, sendo concebida e liderada por jovens, aberta a todo o público: escolas locais, universidades e organizações juvenis, bem como a jovens participantes de todo o mundo, onde são convidados a discutir assuntos que consideram relevantes em formato de painel, palestras, workshops, jogos, hackathons, etc.

A edição deste ano centrou-se nas cidades e nos cidadãos na era digital. Os media digitais, os diferentes dispositivos eletrónicos e as plataformas fazem naturalmente parte do quotidiano da maior parte de nós e, inevitavelmente, também das gerações mais jovens. No entanto, ser um utilizador insaciável não significa ter, necessariamente, conhecimento e experiência suficiente para saber lidar com todos os aspetos da vida digital.  Por outro lado, o conhecimento para aceder, produzir e utilizar informação no dia-a-dia, em particular no que diz respeito à governação, nem sempre reflete o nível de escolaridade dos jovens. Depende muito de como e de que forma se vive a vida, da geração a que se pertence e dos desafios relevantes para as gerações mais novas, enquanto cidadãos MIL. Para desafiares os teus conhecimentos participa no primeiro GLOBAL MIL YOUTH Hackaton Internacional que decorrerá online de 24 a 26 de outubro. Consulta a informação completa em https://www.globalmilhack.com/

O Centro Internet Segura associa-se a esta iniciativa, e irá partilhar até ao final do mês de outubro um conjunto de materiais e de recursos da UNESCO produzidos sobre esta temática que serão disponibilizados no nosso website. 

 

(1)      Programme Specialist in Communication and Information Division for Freedom of Expression and Media Development Section for Media and Society - UNESCO

Faça download
da aplicação