Quero Saber
Quero Saber

Desinformação e Fake News

O que é?

Face à velocidade atual, com que qualquer informação, fidedigna ou não, é veiculada através da Internet, está cada vez mais presente a preocupação sobre a disseminação de conteúdos não validados colocando em causa o debate livre e informativo e, consequentemente, fragilizar a estabilidade das sociedades democráticas.

A desinformação é o termo usado para definir qualquer tipo de conteúdo e ou prática que contribua para o aumento de informação falsificada, não validada ou pouco clara/ transparente e/ ou para afastar os cidadãos do conhecimento factual da realidade. Este fenómeno assume diferentes formatos, nomeadamente:

Notícias falsas e/ou falsificadas ou globalmente designadas por Fake News, que podem indicar a vontade deliberada de distribuir informação falsa ou rumores, independentemente dos meios de comunicação e motivações associadas à sua criação. Embora as notícias falsas não constituam em si mesmas uma limitação da liberdade de imprensa, podem  utilizar informação veiculada pela comunicação social, afetando a credibilidade da mesma.

 

A quem pode afetar?

Todos podem ser afetados! Há vários exemplos de pessoas e empresas que sofreram inúmeras consequências devido às notícias falsas.
As notícias falsas podem causar um grande impacto com consequências graves na reputação de uma pessoa ou empresa, causando complicações não só econômicas, mas também, pessoais e psicológicas.
Muitas vezes é difícil contornar as Fakes News, mas saiba, que cabe a cada pessoa ou empresa, o poder de travar a desinformação.

Se identificar uma notícia falsa, mesmo que não o afete diretamente, é importante denunciar esse conteúdo. Estará a ajudar a quebrar a disseminação da informação falsa e automaticamente a contribuir positivamente para a reputação de uma pessoa ou uma marca.

Saiba mais sobre como atuar em caso de notícia falsa, no curso gratuito, criado pelo CNCS - Centro Nacional de Cibersegurança. Inscreva-se e seja um cidadão ciber informado.

 

Como se Propagam?

Através das redes sociais, Twitter, Facebook ou por aplicações mais fechadas como o Whatsapp. Há sites dedicados a notícias falsas, sediados em países europeus, mas com o IP registado no Texas, por exemplo, de onde partiram centenas de “notícias” manipuladas. Em alguns casos, esses sites têm uma aparência e siglas idênticas aos dos media reais.

Através de qualquer meio de comunicação. As redes sociais como Twitter, Whatsapp e Facebook são exemplos de propagadores de “fake news”.

Existem sites dedicados à produção e manipulação de notícias falsas. Muitos destes sites têm endereços eletrônicos idênticos a outros meios de comunicação oficiais.

Tenha sempre muita atenção onde recolhe a informação!

 

Como Identificar?

Tenha atenção antes de partilhar qualquer informação ou notícia especialmente para grupos privados ou familiares.

  1. Não leia apenas o título, mas sim a notícia inteira.
  2. Confirme a fonte e autoria. Deverá conter o autor e data. Caso contrário desconfie!
  3. Pesquise a mesma notícia na internet. Compare com outras fontes. Sendo verdadeira, haverá certamente outras fontes fidedignas que estejam também a noticiar a mesma informação. Caso seja uma notícia falsa, é provável que encontre informação sobre a sua falta de veracidade.
  4. Para tirar a prova dos nove, faça também uma pesquisa dos factos citados na notícia.
  5. Partilhar notícias antigas pode também ser considerado desinformação! Cuidado, tenha em atenção as datas da informação em questão.
  6. Questione qualquer informação ou notícia, mesmo que tenha recebido da parte de alguém conhecido. Pergunte-lhe qual a fonte da mesma.

Dica:

  1. No caso de receber informação em formato de imagem, há a possibilidade em diferentes motores de busca, de verificar em que outros sites, a mesma foi publicada. Tente confirmar a fonte! De qualquer forma, se a imagem lhe parece inverosímil, muito provavelmente não será real!
  2. Notícias em formato de áudio podem ser difíceis de verificar. Logo a sugestão passa por não partilhar o ficheiro e, sim pesquisar a informação em  fontes fidedignas.

 

O que está a ser feito para combater este fenómeno? 

O combate à desinformação é um esforço conjunto no qual participam todas as instituições europeias. A UE colabora estreitamente com plataformas em linha, incentivando-as a promover informações de fontes fidedignas, a despromover conteúdos reconhecidamente falsos ou enganosos e a retirar conteúdos ilegais ou que possam causar danos físicos.

As medidas tomadas para combater a desinformação, a informação enganosa e as interferências externas foram reforçadas, tendo sido objeto de uma comunicação conjunta da Comissão e do Alto Representante.

Em Portugal, o Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS) em parceria com outras entidades tem vindo a desenvolver estratégias para tentar minimizar o fenómeno da desinformação em Portugal.

O Parlamento Português realizou também debates sobre o tema "Informação e desinformação na era digital", num enquadramento internacional, nacional e eleitoral.

 

Recursos úteis:

Recurso útil para dinamização em contexto escolar:
https://www.seguranet.pt/sites/default/files/2018-10/noticias_falsas_final.pdf